sábado, 29 de agosto de 2015

Plantão Caixa Preta

Nota de falecimento
29 de agosto de 2015

Faleceu hoje Roberto Pereira de Andrade.
Maior autoridade sobre a história da indústria aeronáutica brasileira, com vários livros escritos sobre o tema, inclusive bilíngues, o jornalista carioca que adotou São Paulo foi o primeiro editor da revista Aero Magazine, então título de propriedade da Fundação Santos Dumont, a partir de sua segunda fase, iniciada em 1994.
Eu o conheci em 1995, após ser descoberta por Décio Correa, então colaborador da Aero Magazine, e que me aconselhou falar com o Roberto para colaborar também com a revista.
Lembro-me como se fosse hoje: eu cheguei ao escritório, então situado na Rua Ministro Rocha Azevedo, e ele me perguntou se eu tinha alguma sugestão de pauta para desenvolver. Sim, eu tinha: sobre a Cmte. Claudine Melnik, então recém promovida a comandante na Brasil Central, tornando-se a primeira comandante da  aviação comercial regular brasileira. Com sua sapiência, Roberto me disse: “Por que não escrever sobre ‘todas’ as mulheres da  aviação comercial brasileira, então?”
Essa cena completará exatos 20 anos em outubro próximo.
“Todas” as pilotos, em 1995, não passavam de 10, exceto a Claudine, todasas demais eram copilotos.
Mãos à obra, entrevistei quase todas e essa minha primeira reportagem profissional foi minha primeira reportagem premiada, também.
Com seu jeito de grande urso, voltando às origens lusitanas ao falar com sotaque português só para brincar, esse meu chefe era muito brincalhão também.
Nem ele mesmo sabia porque mas me apelidou de “Gioconda”. Às vezes, precisava do meu nome real e perguntava a quem estivesse na sala: “Qual é mesmo o nome da Gioconda?”
Eu o vi dois dias atrás quando ele me disse o mesmo que dizia diariamente para Marisa Lucchiari, sua fiel amiga e braço direito há quase 30 anos: “Você não vai me ver mais”. Ele ainda viu a Marisa mais um dia, ontem. Mas não me viu mais, infelizmente.

Que Deus o leve em um EMB-110 Bandeirante, pois ele amava a Indústria Aeronáutica Brasileira.

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Plantão Caixa Preta

SHOW DE IMAGENS PARA VOCÊ!!!

Nossa edição mensal de Caixa Preta está atrasada, este mês, mas aguarde só mais alguns dias para vê-la.

Enquanto isso, delicie-se com esse show de imagens dos Portões Abertos da Academia da Força Aérea (AFA) em Pirassununga (SP), sede da Esquadrilha das Fumaça, deste domingo 23 de agosto, que disponibilizamos a seguir!!!

*Todas fotos de autoria de Solange Galante.*

















































quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Plantão Caixa Preta

A TAM ACABOU. A EMPRESA AÉREA E A MARCA. O QUE ISSO SIGNIFICA?


Sob um ponto de pista, menos do que o fim da Real, da Aerovias Brasil e da Panair do Brasil. Menos do que significou o fim da Transbrasil, da Cruzeiro do Sul, da Vasp e da Varig. Pois a TAM foi um divisor de águas. A aviação comercial brasileira pode ser dividida em AT e DT: antes e depois da TAM. Rolim Adolfo Amaro, fundados da companhia aérea (embora não do Táxi Aéreo Marília). Era piloto, gostava de voar e entendia de aviação. Mas era, sobretudo, um empresário. Um empresário e uma raposa da  aviação. Qual era o primeiro mandamento da TAM? “Nada substitui o lucro”. Os outros empresários da aviação não pensavam assim. Talvez, por isso, sucumbiram antes. Mas Rolim era um empresário como todos os empresários gostariam de ser e poucos conseguem: era inovador, ousado, e cria da casa, tudo isso junto.
Mas, por outro lado, o fim da TAM pode significar mais do que o fim de todas as companhias acima citadas. Basta ver o histórico da Lan, a companhia aérea e seu respectivo país natal – Chile – que compraram a TAM. Histórico de segurança de voo, principalmente. A TAM conseguiu a proeza de destruir a reputação de um avião que era sucesso em todo o mundo e, quem sabe, não teve seu “zero vírgula alguma coisa de participação” na falência da Fokker? Ainda hoje, especialmente no Brasil, em alguns casos, o nome composto “Fokker 100” é tabu. Por quê? Por causa de mais de 100 mortes. E a má fama da TAM começou ainda sob a gestão de um Rolim vivo e celebrado: a imagem de companhia regional “Number One” caiu em forma de um outdoor voador sobre a zona sul de São Paulo em 31 de outubro de 1996. Mas não parou por aí. Incidentes suspeitíssimos e o voo 3054 de 2007. Sobre todas essas ocorrências ainda hoje pairam dúvidas e detalhes mal contados. Por isso que o fim da TAM pode significar mais que o fim de outras aéreas brasileiras: pode significar o fim de um capítulo de dor e fogo. Para a alegria de seus marketeiros de plantão.

Porém, não se enganem: se até o acidente de Orly, com a Varig, o acidente de Fortaleza, com a Vasp e o acidente de Florianópolis com a Transbrasil são chagas mal cicatrizadas que podem reabrir e trazer à luz verdades até então ocultas, isso também podem acontecer com a TAM. Basta, de repente, se tocar na ferida.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

CAIXA PRETA # 117

CP 117 julho 2015


LISTA DE PERDIDOS (ÀS VEZES, ACHADOS) EM GRU AIRPORT SÓ CRESCE...


Segundo informações do portal da revista Veja e também sites de outras mídias, a criança viajaria para João Pessoa e foi deixada sozinha pelo funcionário da TAM responsável por acompanhá-la no embarque. Lembrando que esse é um serviço contratado à parte pelo cliente da empresa aérea. Ocorreu no domingo dia 19 de julho passado: por volta das 8 horas, a jornalista Carolina Petter e o publicitário Felipe Capelli deixaram a filha aos cuidados (cuidados?) de um funcionário da companhia, responsável por embarcá-la na aeronave com destino à capital paraibana, onde seria recebida pelos avós maternos. Além da criança, um cadeirante e uma idosa também seriam guiados pelo mesmo funcionário. Carolina contou que ficou nervosa ao ver o funcionário questionar a criança se ela iria para Salvador, então respondeu que era para João Pessoa e decidiu permanecer no aeroporto para se certificar de que a filha tinha embarcado.
Mãe zelosa e preocupada, Carolina pediu aos representantes da TAM que avisassem quando sua menina entrasse no avião. Após o embarque, a criança também deveria ser conduzida até sua poltrona por um funcionário da companhia. “Após dez minutos, uma funcionária me garantiu que minha filha havia embarcado”, disse a jornalista que, então, decidiu mandar uma mensagem para o celular da criança e lhe desejar boa viagem. Aí, ela levou um susto ao constatar que a garotinha ainda estava aguardando “o moço voltar”, ou seja, ela ainda estava no aeroporto – o maior da América do Sul –, ainda não no avião, e sozinha. Carolina, então, telefonou de imediato para o celular da filha e descobriu que ela estava realmente só. A mãe passou o telefone para o marido, que tentou acalmar a criança, e contou que “Felipe ficou muito nervoso ao perceber que ela estava em prantos.”
A jornalista se dirigiu até o balcão da TAM para tentar entender o que havia acontecido e a funcionária que, pouco antes, havia garantido o embarque da menina, confessou que confundira o sobrenome dela com o de outra passageira (lamentável, realmente).
Passaram-se 40 minutos de agonia até que a criança, ainda muito assustada, fosse localizada e encaminhada aos pais por outra funcionária. Ela havia sido encontrada num portão de embarque que nada tinha a ver com o voo para João Pessoa, que já havia, obviamente, partido.
Depois de quarenta minutos de espera e desespero, a criança chegou ao balcão onde estavam os pais acompanhada de uma outra funcionária. Foi encontrada num portão diferente do reservado para o voo à Paraíba. O casal registrou um boletim de ocorrência na unidade da Polícia Civil do Aeroporto de Guarulhos e preencheu uma reclamação formal na ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil.
Em nota, a TAM Linhas Aéreas afirmou que “houve uma falha no processo de embarque”, mas que “em momento algum a menor deixou de ser assistida por um funcionário”. Para embarcar crianças sem um acompanhante, a companhia cobra uma taxa de R$ 100,00 pelo serviço de Supervisão de Menores Desacompanhados.
Por recusar um voo com escala no Rio de Janeiro, ainda no domingo, a família teve que aguardar 35 horas para enfim assistir ao embarque de sua filha. Após muito paparico por parte da empresa aérea, é claro, como é normal nesses casos. 

Pois é, e GRU Airport vai colecionando uma bizarra coleção de achados & perdidos muito mais exótica que dentaduras, cadeiras de rodas, sombrinhas e fotos de família. Será que as câmeras de seu imenso sistema de Big Brother não detectaram uma criança sozinha num terminal enorme, e chorando, tensa, com sinais de estar realmente perdida?
Quanto à TAM... nada mais a dizer sobre o tratamento dispensado a uma criança dessa idade...

========================================================





MISTÉRIO: QUEM SERÁ A DONA DO TÊNIS ROSA QUE APARECEU NUMA MALA FECHADA DURANTE UM VOO DA TAM???

7 de julho de 2015

(onde você poderá ver a foto do tênis!)

Um grande mistério ronda o voo JJ 8091 da TAM, que saiu ontem (06) de Miami com destino a São Paulo. O jornalista Ricardo Nonato pegou a mala na esteira, sem saber que algo sobrenatural havia ocorrido.

O cadeado estava intacto mas, ao chegar em casa, ele viu que o conteúdo havia sido trocado: sumiu o perfume que ele comprou e apareceu no lugar um tênis rosa.
O jornalista nem pode aproveitar o tênis, que garante ser mais caro do que o perfume sumido. Como bom cidadão, Nonato quer encontrar a dona.
Quando acionada, a companhia aérea disse ao jornalista que não pode fazer nada porque ele não viu a troca  no aeroporto. Com certeza foi algo sobrenatural, não é mesmo? Claro que a empresa nunca iria correr da responsabilidade!
Ricardo Nonato contou o “causo” no Radioatividade desta terça-feira (07). Ouça a história dele Iink clicando acima na palavra Radioatividade):
 Aqui está a foto do misterioso tênis rosa. Se alguém souber quem pode ser o dono ou a dona do objeto pode entrar em contato com a gente aqui do Radioatividade. Ajude a desvendar esse mistério e entregar o calçado ao verdadeiro dono.

---------------------------------------------------------------------------------------


Claro que também temos excelentes notícias
aqui na Caixa Preta, também!!!



Esquadrilha da Fumaça retoma agenda de demonstrações pelo país

Pedidos devem ser encaminhados ao centro de comunicação social da aeronáutica

Publicado: 13/07/2015 16:10h
Fonte: Agência Força Aérea

A população de Maringá (PR) entrou para a história da Esquadrilha da Fumaça no último fim de semana. a cidade paranaense foi escolhida para a reestreia do esquadrão de demonstração aérea (EDA) da Aeronáutica, que agora, depois de dois anos de treinamento, atua com a nova aeronave, o A-29 Super Tucano.

O mau tempo na região ameaçou impedir a decolagem, mas a mudança climática no horário marcado para as apresentações animou o público de 6 mil pessoas que acompanhou o show aéreo durante os dois dias de EAB Air Show, 18ª edição da tradicional feira internacional de aviação. Cique aqui e veja fotos do evento na fanpage da FAB.
O empresário Adelson Lleonardo levou a filha Beatriz, de 10 anos, para conhecer a esquadrilha: “admiro muito a coragem e a ousadia dos pilotos. a emoção é muito forte, especialmente por ser a primeira apresentação nessa nova fase, com a nova aeronave. Foi um presente para Maringá, para cidade, para população”, resumiu.
No céu, um espetáculo verde, azul e amarelo de 45 minutos e com 50 manobras apresentadas. as demonstrações foram o foco de quem, do solo, registrou cada movimento pelas telas das câmeras ou dos celulares e contribuiu com 2 toneladas e meia de alimento não perecível, que agora abastecerão a rede feminina de combate ao câncer de Maringá pelos próximos quatro meses.

A próxima parada da Esquadrilha da Fumaça já tem data marcada. dessa vez, eles se apresentam em casa, na academia da força aérea (afa), em Pirassununga (SP), durante o famoso “portões abertos”, no dia 23 de agosto.

Esquadrilha da Fumaça na sua cidade
Uma das principais dúvidas de quem gostaria de ver a Esquadrilha da Fumaça em sua cidade é de como realizar a solicitação. As demonstrações do EDA são definidas, normalmente, com um mês de antecedência, pelo centro de comunicação social da aeronáutica (Cecomsaer). Para tanto, são levados em consideração diversos critérios de avaliação, como importância do evento no cenário nacional/internacional, público estimado durante a apresentação, possibilidades logísticas, entre outros.

Passo a passo
Para solicitar uma demonstração, é necessário enviar um ofício assinado ao Cecomsaer com antecedência mínima de quatro meses, mencionando nome, endereço, data do evento, telefone para contato e público estimado. Recomenda-se estipular outras datas para a demonstração, tendo em vista uma impossibilidade do atendimento na data solicitada.
após deliberação do Comando da Aeronáutica, o Cecomsaer confirmará junto ao solicitante, com antecedência de 30 dias do evento solicitado, se o pedido foi ou não aprovado.
Vale lembrar que as exibições da Esquadrilha da Fumaça são demonstrações públicas, gratuitas e de caráter institucional, não cabendo, portanto, veiculações com propósito comercial ou de propaganda político-partidária.
O ofício deve ser enviado ao:
      Centro de Comunicação Social da Aeronáutica
      A/C Excelentíssimo Senhor Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic

Pelos Correios:
      Esplanada dos Ministérios
      Bloco M – 7º andar
      CEP 70.045-900 – Brasília/DF

Por e-mail: programacao_eda@fab.mil.br
      Para confirmação de recebimento: 55 (61) 3966-9699

------------------------------------------------------


***ATÉ QUE ENFIM, BRASIL!***



Brasília, 14 de julho 2015 – O Aeroporto de Brasília será o primeiro aeródromo da América do Sul a realizar operações paralelas simultâneas independentes. O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), órgão ligado a Aeronáutica, foi o responsável pela análise e autorização do novo procedimento.
O Terminal é o único do país que possui pistas paralelas com uma distância segura para realizar pousos ou decolagens simultâneos. As pistas têm 3.300x45 e 3.200x45 com espaço de 1,8km entre elas. A previsão, de acordo com o DECEA, é iniciar a operação em novembro deste ano.
A conquista é resultado de investimentos realizados pela Inframerica em infraestrutura que possibilitou a entrada de mais voos para o Terminal e a ampliação das salas de embarque, que trouxeram mais conforto e variedade para os passageiros, isso tudo aliado a quantidade de vagas no pátio e pistas de taxiamento. Além disso, o trabalho realizado pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo foi essencial, pois são eles os responsáveis pela implementação dos procedimentos de navegação aérea e pelos fluxos de tráfego.
Segundo o DECEA, a operação simultânea das pistas é totalmente segura, mas requer um trabalho meticuloso, como se dois aeroportos estivessem sendo controlados ao mesmo tempo.
Com a autorização, o Aeroporto de Brasília terá sua capacidade de pista acrescida dos atuais 60 movimentos por hora para 80. Esse será o terceiro aumento desde que a Inframerica assumiu a administração do Terminal, um crescimento total que chegará a 45%.
A permissão coloca o Aeroporto de Brasília no 1º lugar de maior capacidade de pista do país e o único a operar pousos e decolagens simultâneas na América do Sul.
A operação abre oportunidades de novos negócios e possibilidades de mais rotas e destinos para os usuários. Nos horários mais concorridos, os passageiros poderão ter uma variedade maior de voos.
Para o presidente da Inframerica, o engenheiro Jose Luis Menghini, trabalhar com as pistas simultaneamente coloca o Aeroporto em um patamar importante na aviação civil. “A ação pioneira do DECEA em conjunto com a Inframerica inicia uma era importante na aviação civil brasileira. A operação gera diversas oportunidades adicionais para as linhas aéreas, que, consequentemente, acarreta opções aos passageiros, além de impulsionar nossos planos para aumentar a eficiência dos nossos aeroportos” comenta.
O Aeroporto de Brasília tem em seu portfólio 45 destinos nacionais e sete internacionais regulares, operados por 12 companhias aéreas. É o 2º aeroporto em movimentação de passageiros do Brasil e o 3º em movimentação internacional. A média diária de voos no Terminal é de 500 movimentos aéreos, já de usuários, entre embarques, desembarques e conexão são 49 mil.
Exemplo que vem de fora
As operações simultâneas em pistas paralelas já acontecem em alguns aeroportos do mundo. A maioria deles é conhecido por ser um grande hub, como é o caso do Aeroporto de Hartsfield-Jackson, em Atlanta, nos Estados Unidos, um dos aeródromos mais movimentados do mundo.
O Terminal possui cinco pistas, sendo que três delas operam simultaneamente. Cerca de 96 milhões de pessoas passaram pelo aeroporto em 2014. Receber tantos passageiros só foi possível devido a essa operação.
Além do terminal americano, outros aeroportos como o de Beijing, na China, Heathrow, na Inglaterra, Indira Gandhi na índia, também trabalham com operações simultâneas.
(Fonte: assessoria da Inframerica)



===============================================


ENQUANTO ISSO, NÓS CÉUS DA REGIÃO SUL BRASILEIRA...

Fotografia de tela captada pelo colaborador Rosvalmir Afonso Delagassa dá um pequeno exemplo de como companhias aéreas nacionais e estrangeiras sofreram com o mau tempo que reinou na região durante alguns dias e algumas noite, com tempestades, vento forte, granizo etc...
Nesse caso em particular, Afonso comentou “A tripulação da América Airlines já deve estar tonta de tanta órbita!” – segundo ele, foi quase uma hora de voltinhas...







========================================

ERRO DE ÂNCORA

Com todo respeito ao Ricardo Boechat, no dia 22 de junho passado ele teve a “honra’ de entrar na minha relação para a Caixa Preta pois o gato do famoso vídeo abaixo estava voando em um ULTRALEVE e não em um "planador", como ele falou (e por duas vezes), tal qual os jornalistas que chamam monomotor de bimotor. Que vergooooooooooooooonha!!! (e não adianta negar, pois eu gravei!!!)

Link para o vídeo:



---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


“NOSSAS PRINCIPAIS SEÇÕES”


DIRETAMENTE DOS NOSSOS “ARCHIVOS”

Atendendo a pedidos, publicamos aqui e na íntegra interessante artigo publicado originalmente na revista Aero de setembro de 1974







----------------------------------------------------------------------------------------------


CAIXA PRETA DE CAMÕES


“Mesmo com novo motor, a nacele se manteve suas dimensões...”
(Fonte: Revista “2”, aquela que não coloca seu mês de publicação na edição, mas que calculamos como sendo junho de 2015)
Bem, era preciso escolher entre “a nacele se manteve” ou a “nacele manteve suas dimensões”. Talvez o leitor possa decidir.

=======================================================


DEU N@ INTERNET


(FONTE: Folha de S.Paulo
12/12/2014 08h47)



Presidente da Korean Air se desculpa por filha ter expulsado um tripulante
DA AFP

O presidente da Korean Air, Cho Yang-Ho, pediu publicamente desculpas nesta sexta-feira (12) pelo comportamento de sua filha, que levou à expulsão de um tripulante por servir mal frutas secas em um voo Nova York-Seul.

"Peço desculpas como pai e como presidente da Korean Air", disse Cho Yang-Ho, em uma coletiva de imprensa televisionada, na qual classificou o comportamento de sua filha, Cho Hyun-Ah, de "ato insensato".

Cho Hyun-Ah era vice-presidente da empresa e precisou renunciar após o escândalo provocado por seu comportamento durante um voo entre Nova York e Seul da Korean Air.

Cho, que viajava na primeira classe, ficou indignada depois de receber frutas secas no momento errado e pelo fato de estarem em um saquinho plástico, e não em um prato.

Depois obrigou um membro da tripulação a desembarcar do avião.

A aeronave teve que retornar ao portão de embarque, o que provocou um atraso de 11 minutos no voo.

Seu comportamento, classificado pela imprensa de mesquinho e arrogante, foi muito criticado na Coreia do Sul e o governo está investigando se as leis de segurança em voo foram violadas.



------------------------------------------------------

(FONTE: Deutsche Welle
21.12.2014)

Comissão Europeia encontra falhas de segurança no Aeroporto de Frankfurt

Segundo jornal "Bild am Sonntag", investigadores conseguiram passar com armas e objetos proibidos pelo controle de passageiros em metade das tentativas. Administração afirma que funcionários fazem novo treinamento.



Investigadores da Comissão Europeia encontraram graves falhas no esquema de segurança de passageiros do Aeroporto Internacional de Frankfurt, o maior da Alemanha e um dos cinco maiores da Europa, segundo revelou reportagem publicada neste domingo (21/12) pelo jornal alemão Bild am Sonntag.

Segundo o tabloide, passando-se como passageiros comuns, inspetores conseguiram driblar o controle de segurança, feito por agentes contratados por uma empresa privada, e passaram com armas e outros itens proibidos em metade das tentativas feitas.

O motivo para as falhas, de acordo com o jornal, seria o fraco treinamento recebido pelos funcionários responsáveis para operar o aparelho de raio-x e identificar objetos que podem oferecer risco aos passageiros. O scanners corporais também estariam sendo lidos, frequentementede, de maneira equivocada.

Ainda segundo o Bild am Sonntag, se a Comissão Europeia não estiver convencida de que o Aeroporto de Frankfurt vem tomado medidas adequadas para garantir a segurança dos passageiros, ela poderá mudar seu status para "aeroporto não Schengen", ou seja, fora da zona europeia de livre trânsito.

Isso significaria que passageiros que desembarcarem em Frankfurt em trânsito para outros países europeus serão sujeitos novamente ao controle. A Comissão Europeia não comentou a reportagem.

Cursos de reciclagem
Segundo Christopher Holschier, porta-voz da Fraport AG, empresa que administra o aeroporto de Frankfurt, funcionários do aeroporto passarão por cursos de reciclagem. "Levamos isso a sério. Cerca de 2,5 mil funcionários estão passando por novo treinamento, para garantir que objetos suspeitos não passem pelo controle sem ser percebidos", garantiu.

Em entrevista à DW, o especialista em segurança de aviação Chris Yates ressaltou ser importante saber qual é a proporção das etapas de segurança feitas pela empresa privada, pois agora esse furo no controle levanta questionamentos se toda a segurança no aeroporto de Frankfurt é falha ou apenas uma parte.

Dúvidas sobre empresas privadas
Para Yates, o problema não está limitado ao aeroporto de Frankfurt. "Onde empresas privadas estão sendo responsáveis pela segurança, tende a haver problemas. Vez ou outra tem havido problemas no Reino Unido, assim como em outros países da Europa. Por esta razão, acredito que empresas particulares não devem prover a segurança nos aeroportos."

Funcionários do aeroporto de Frankfurt, no entanto, garantem que a empresa tem capacidade para suprir as demandas. Em 2013, cerca de 159 mil pessoas passaram por Frankfurt diariamente.

Segundo publicou o Bild am Sonntag, um porta-voz da Polícia Federal alemã, que responde pela segurança no aeroporto, disse que novas medidas foram tomadas imediatamente após conhecimento das deficiências na segurança, a fim de garantir a integridade dos passageiros.

A Comissão Europeia tem feito testes frequentes em aeroportos europeus. Caso esses testes revelem fragilidades na segurança, o governo do Estado é alertado para tomar medidas cabíve
is.
-----------------------------------------------------

Policiais esquecem alto-falantes ligados e expõe suas vidas sexuais para cidade toda

Reprodução/Twitter

Um detalhe faz toda a diferença. Que o diga um grupo de policiais de Winnipeg, no Canadá. Ao entrarem em um helicóptero oficial, eles se esqueceram de desligar o alto-falante e fizeram boa parte da cidade ouvir suas peripécias sexuais.

Os oficiais entraram no helicóptero para fazer patrulha e começaram a conversar sobre sexo, com, ênfase em sexo oral. Os três não repararam que o alto-falante, utilizado para casos de emergência, estava ligado e, por isso, conversaram sem problemas sobre todos os temas.

Duas testemunhas que ouviram as conversas falaram que os policiais contavam uns para os outros o que gostavam de fazer na cama e como aprovavam comportamentos sexuais de seus parceiros. Logo depois de falarem sobre sexo oral, mudaram o tema para sobre como ter um bom sexo pago.

Em poucos minutos as conversas dos policiais estavam nas redes sociais com as hashtags #whoops e #speakerphone, o que fez com que os chefes descobrissem a falha. Os três agora serão ouvidos pela chefia e deverão receber algum tipo de punição branda. Em carta, a polícia de Winnipeg pediu desculpas pela “vergonha de conversas inapropriadas”.



============================================================

NOSSA EXCLUSIVA E VIBRANTE COLEÇÃO DE PÉROLAS VOADORAS

(Erros da imprensa que capturamos por aí. Vamos contar somente os pecados, e não os pecadores, senão eles vão ficar levemente chateados...)


A Pérola da imprensa especializada em abril de 2010 (revista 01)

“Para missões especiais, a Força Aérea dos EUA passou a operar o V-22 Osprey (no 8) (...) No no 8 da nossa lista dos “10 mais” está o Sikorsky S-64F Skycrane.

Afinal, quem é o número 8 dos helicópteros mais pesados do mundo? E nas tabelas que são a legenda das fotos constam: no 8 como o Bell Boeing V-22 Osprey e o Sikorsky S-64F Skycrane aparece como número 9. Tudo leva a crer que as legendas é que estão certas, pois no texto da matéria não é citado quem seria o número 9.

 

 

A Pérola da imprensa não-especializada de 18 de dezembro de 2011 (jornal 26)


“O Cenima (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) investiga o incidente com o voo 1536.”


Está tudo certinho, exceto a sigla, cujo correto é CENIPA. Bastava reler o nome do órgão citado. E olha que no teclado da língua portuguesa as letras “P” e “M” estão distantes entre si!

 

 

A Pérola da imprensa especializada em dezembro de 2013 (embora eles não citem o mês) (revista 02)

 

“A segunda alternativa seria a base aérea do Aeroporto Internacional de Guarulhos...”

Ao contrário do que a frase pode sugerir, a base aérea – que é a Base Aérea de São Paulo – não pertence nem faz parte do Aeroporto de Guarulhos. São administrações diferentes, áreas separadas, embora vizinhas, contextos totalmente independentes. Revistas especializadas não devem “desinformar” o leitor.



==================================================================


VALE A PENA LER DE NOVO


de CAIXA PRETA # 50 /
maio, junho, julho, agosto e setembro de 2006

CINCO PASSAGEIROS A MAIS, NA CHEGADA

  “Os passageiros de um ‘clipper’ da Pan American World Airways, tiveram ocasião de presenciar, em pleno vôo, o nascimento de cinco criaturas. Encontrando-se a aeronave sobre as selvas do Brasil, em cruzeiro de Porto Espanha, Trinidad, para Belém, uma cadela de raça 'cocker spaniel, que viajava no compartimento de carga, deu à luz cinco robustos filhotes. O comandante G. E. Travers e a comissária Rachel Tarner assitiram à mãe, que seguia de New Jersey para Montevidéu. Os passageiros foram, então, oficialmente informados do nascimento dos cinco cachorrinhos, cuja vinda ao mundo o comandante registrou, devidamente, em seu relatório oficial das ocorrências de bordo.

Este não foi o primeiro nascimento de animais a bordo de um avião da PAA, pois no ano passado, veio à luz, sobre os céus do Caribe, um formoso bezerro raça Holstein, cuja mãe viajava de Toronto para Buenos Aires.”


(fonte: “Revista “Aviação” no 129, outubro/1948)

=================================================================


“COMIDA DE AVIÃO”




Nosso colaborador gastronômico Fernando Canteras esteve voando entre Guarulhos (DP) e Cascavel (PR) pela Azul, voo AS 5044, aeronave ATR72-600 PR-AQH "Infinito Azul" e mais uma vez recebeu uma saudável e apetititosa maçãzinha para rebater os snacks que já fazem o sucesso da companhia. Uma excelente iniciativa da Azul, pois maçãs têm muitas fibras, que auxiliam na digestão e ajudam a limpar os dentes e promover o bom hálito! E não devem custar caro para a companhia aérea. O voo ocorreu dia 14 de julho passado.
Mande para nós, você também, fotos e dados sobre o serviço de bordo que degustou!!!



===================================================

“CAPAS”


Algumas capas de revista de aviação do passado que se destacam por si só ou trazem homenagens históricas. Colabore você também enviando aquelas de que mais gosta!




Capa Flap jan 1979
Janeiro de 1979. Transbrasil, Boeing 727, esquema visual do arco-íris, Congonhas. Preciso dizer mais alguma coisa?






Capa Frontiers Boeing nov 2014
Novembro de 2014. A revista da Boeing para público externo e interno traz textos muito interessantes e foto belíssimas.





Capa Revista do Manche 35_1
Junho de 1995. Nove entre 10 entusiastas de aviação brasileiros a conheceram e se informaram sobre novidades da frota, curiosidades, históricos de companhias aéreas e modelos de aviões, por suas páginas que, se não tinham a qualidade gráfica de revistas como a Flap, esbanjavam em conteúdo.


=========================================


 “Sites úteis”

http://www.casperflights.com

Você deve conhecer vários sites de acompanhamento de voos, como o Flight Radar, não é? E o Casper Flights, já conhece? Ele abrange só a Europa mas é divertido ver os aviões voando à noite com as luzes de navegação acesas, por exemplo. Vale a visita!!!


=====================================================================


– “PENSAR PARA VOAR” –

(PENSAMENTOS E FRASES RELACIONADOS À AVIAÇÃO)


"Acho que a sua atitude determina sua atitude. Se você achar que não pode, você não vai conseguir, e eu acreditava de todo coração que íamos conseguir sair dessa." (Cmte. Dennis Fitch, que ajudou os tripulantes em comando do DC-10 da United no acidente com o voo UAL 232 que, em 1989, conseguiu pousar em Sioux City – mais da metade dos ocupantes se salvou, e quem não se salvou foi vítima mais por conta de fogo do que do impacto)


==============================================================


CAIXA COR DE ROSA

(acesse o link e veja o vídeo)

23mai-2015

Corpo de Bombeiros tem a primeira mulher comandante de um helicóptero de resgate



Minas Gerais – Vamos apresentar a Capitã Karla, do Batalhão de Operações Aéreas do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais. Ou Capitão, como queiram.
O que ela tem de especial?
Karla é a primeira mulher comandante de um helicóptero de resgate no País.
Por trás da feminilidade, é preciso ter garra para desenvolver um trabalho arriscado e, ao mesmo tempo, gratificante. Afinal, salvar vidas não é pra qualquer um!
Fonte: TV Alterosa.


===================================================================

COLABORE VOCÊ TAMBÉM COM ESTE BLOG!!!
Envie não só sugestões, comentários, reclamações como também denúncias de maus tratos em companhias aéreas, flagrantes em fotos e textos, desabafos, histórias, contos, crônicas, piadas, tudo o que lhe agradar divulgar, anonimamente* ou não.
(*podemos publicar anonimamente depois de comprovar se o autor realmente existe!)


========================================================================


ATENÇÃO!

Todos os textos e fotos postados neste Blog estão protegidos pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998, a Lei de Direitos Autorias.
Algumas revistas, não só de aviação, se baseiam na Lei 5.988/73 que foi revogada pela Lei 9.610/98. Independentemente se você é jornalista formado e/ou registrado ou não, sendo autor de qualquer obra intelectual, fique atento!!!
Veja o texto da Lei EM VIGOR em:
==========================================================


N O V I D A D E S



Veja na edição 513 (junho de 2015) da revista Flap Internacional minhas matérias sobre:


Mercado de helicópteros


(Foto: divulgação Aeróleo)



Carga Aérea


(Foto: Rosvalmir Afonso Delegassa)


Fidae X Laad X Labace (um comparativo)


(Foto: Solange Galante)


Veja ainda minha Entrevista sobre o livro “Nas Asas do Líder – Biografia oficial do Coronel Braga” na página oficial da Esquadrilha da Fumaça!


“NAS ASAS DO LÍDER” – BIOGRAFIA OFICIAL DO CORONEL BRAGA É LANÇADA EM SÃO PAULO

Três integrantes da Esquadrilha da Fumaça prestigiaram o lançamento do livro “Nas Asas do Líder”, da jornalista e pesquisadora de aviação Solange Galante de Jesus, no dia 26 de maio, em São Paulo.
O Capitão Aviador Eduardo Maia Arantes, o Capitão Aviador Cléryson Wander Teixeira e o Sargento Fotógrafo Marco Antônio Ribeiro representaram toda a equipe do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) no evento em que foi lançada a biografia oficial do Coronel Aviador Antônio Arthur Braga, um dos maiores ícones da aviação brasileira cujo tempo na Esquadrilha da Fumaça totalizou 17 anos, sendo doze como Comandante.
A noite de autógrafos contou com a presença de dois dos três filhos do Coronel Braga, Antônio Arthur Braga Júnior e Ana Lúcia Cotrim Braga, e do Fumaça Honorário e Comandante do IV Comar, Major-Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno.
Coronel Antônio Arthur Braga
Natural de Cruzeiro (SP), o então Tenente Braga ingressou no EDA em 1959 e assumiu o comando em 1965, permanecendo até 1977. Voando principalmente o avião T-6 Texan e, também, o T-24 Fouga Magister, realizou mais de mil demonstrações aéreas no Brasil e em diversos países da América do Sul e Central. É, ainda hoje, considerado o piloto mais voado no mundo com o T-6, possuindo mais de dez mil horas de voo nessa aeronave. Faleceu no ano de 2003 aos 71 anos de idade. Em muitas das homenagens que recebeu, destaca-se uma via do bairro da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, designada como Rua Coronel Aviador Antonio Arthur Braga. 
Entrevista:
Confira a entrevista feita pela Esquadrilha da Fumaça com a autora Solange Galante da biografia “Nas Asas do Líder”.
- Como surgiu a ideia de lançar o livro?
A ideia foi do próprio Coronel Braga, após ler um pequeno texto sobre ele que tentei publicar em uma revista. Ele me enviou uma carta, dizendo que gostaria que, um dia, eu escrevesse sua história, carta que guardo até hoje com muito carinho.
- O livro aborda quais temas?
É uma biografia oficial, isto é, autorizada pelo próprio e pela sua família, mas também são abordadas as duas paixões do Cel Braga: a Esquadrilha da Fumaça e o avião T-6.
- Quando começou a produção do livro?
Quando o Cel Braga ainda estava vivo, por volta de 2002; mas vários percalços foram adiando a publicação.
- Como foi a pesquisa?
A pesquisa foi muito interessante e emocionante ao conversar com pessoas que conviveram com o Cel Braga, todas contando histórias incríveis.
- Quando e onde conheceu o trabalho da Esquadrilha da Fumaça?
Assistindo às apresentações em eventos de aviação, mas também fazendo amizade com alguns Fumaceiros, graças ao meu trabalho como jornalista de aviação.
- Como conheceu o trabalho do Cel Braga? 
Visitando o Museu Aeroespacial (MUSAL/RJ), quando ele trabalhava lá como diretor e, depois, convivendo com sua família e amigos.



***(E você ainda pode adquirir comigo seu exemplar autografado! Escreva para remigedeaguia@bol.com.br)***


 ---------------------------------------------------------------------------------------